Header Ads

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Magistrados cariocas ganham auxílio-moradia


Italo Nogueira
Folha de São Paulo

A Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) aprovou nesta quarta-feira (18) a criação de auxílio-moradia para magistrados do Tribunal de Justiça e o reajuste do benefício para membros do Ministério Público. Na mesma sessão, os deputados confirmaram o aumento do salário do governador Sérgio Cabral (PMDB), do vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), de secretários e subsecretários do Estado.

As três medidas vão ter um impacto de ao menos R$ 62,6 milhões no orçamento do ano que vem, de acordo com os projetos de lei propostos.O auxílio-moradia de juízes e promotores será de até 18% do salário dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), cerca de R$ 5 mil. Os critérios para o recebimento do benefício ainda serão definidos pelo Tribunal de Justiça e Ministério Público.

O desembargador Ricardo Couto, que defendeu o projeto na Alerj, disse que o auxílio existe "em cerca de vinte Estados, o que faz com que o TJ perca quadros".O procurador-geral de Justiça, Marfan Martins Vieira, disse que o reajuste do benefício aos promotores visa tornar a regulamentação "harmônica com a do TJ" --o limite aos promotores, antes da aprovação, era de 10% do subsídio dos ministros do STF.
Os dois órgãos justificaram o pedido apontando como necessidade de aumento do benefício "oscilações do custo de vida e as exigências da carreira". A aprovação dos dois projetos de lei terão impacto de R$ 16,3 milhões, de acordo com o TJ e a promotoria.

Os deputados também aprovaram o reajuste do salário do governador em 5,8%, elevando o vencimento de R$ 20,6 mil para R$ 21,8 mil. O aumento também será dado ao vice, secretários e subsecretários do Estado. O IPCA acumulado de novembro é de 5,77%, de acordo com o IBGE.
O aumento do salário de Cabral acarreta no reajuste para alguns servidores, como coronel da Polícia Militar e auditores fiscais, cujos subsídios estão vinculados ao do governador. O impacto do aumento é de R$ 46,3 milhões, de acordo com a Comissão de Orçamento.

O deputado Marcelo Freixo (PSOL) criticou o reajuste. "Não vejo como um salário injusto para a responsabilidade que é governar um Estado. Mas estamos diante do luxo e requinte com que vive o governador, sem qualquer explicação de como adquiriu o seu patrimônio. Se fosse qualquer outro governador que tivesse divergência política, mas nutrisse algum respeito, votaria a favor. Mas não é o caso do ex-governador em exercício."

Nenhum comentário

Caixa Pop Up Abertura

Header Text (Disable)

random
Ads Top

Find Us On Facebook

Random Posts

Join Our Newsletter
Dapatkan Artikel Terbaru
Langsung ke INBOX Anda

Social Share

Design

Notícias

Propagandas

Propagandas

Recent Comments

Mais Lidas

Tecnologia do Blogger.